São Vicente: Habitação Social de Portelinha irá minimizar o défice habitacional reduzindo assim casas de latas

São Vicente: Habitação Social de Portelinha irá minimizar o défice habitacional reduzindo assim casas de latas

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

Arranca esta segunda-feira, as obras de habitação social de Portelinha, Ribeira de Craquinha em São Vicente. O complexo habitacional irá contemplar 88 moradias estruturas com 11 blocos, e deverá estar pronto daqui há um ano.

A ministra das Infraestruturas, Ordenamento do Território e Habitação, Eunice Silva, encontra-se na ilha de São Vicente para presidir à cerimónia oficial de descerramento da Placa das obras de Habitação Social da Portelinha, Ribeira de Craquinha, e contará ainda com a presença do Embaixador da China em Cabo Verde, Du Xiaocong.

A obra tem como promotores a camara municipal de São Vicente e os governos de Cabo Verde e da China.

Segundo o vereador da camara de São Vicente Rodrigo Martins trata-se de um projeto que irá minimizar o défice habitacional reduzindo assim casas de latas e proporcionado as famílias menos favorecidas uma moradia condigna.

“É um projeto que vai ao encontro das necessidades digamos assim a nível de habitação, é um projeto numa zona carenciada que necessita de infraestruturas, com muitas pessoas em habitações precárias, e realmente essas habitações terão que como destino essas pessoas, que necessitam de melhores condições de habitabilidade e de vida”, sublinhou o vereador.

O projeto prevê infraestruturas que permitem acesso a água, energia, estacionamento de viaturas, parque infantil e drenagem das águas pluviais, uma obra que segundo Rodrigo Martins alcança uma dimensão além do betão.

A zona envolvente também vai ser requalificada, isto porque segundo o vereador “não há desenvolvimento sustentável sem coesão social e territorial e nos temos que trabalhar com afinco no sentido de diminuir essa simetria existem nas localidades proporcionando assim melhores condições de vida as pessoas”.

Opinião

Fechar