Santo Antão: “O Senhor que me chamou e me escolheu para a vida religiosa”, frei Ravilson Mota

Santo Antão: “O Senhor que me chamou e me escolheu para a vida religiosa”, frei Ravilson Mota

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

O jovem Frei Ravilson Renato Fortes Mota, 30 anos, é natural da ilha de Santo Antão, paróquia de São João Baptista, concelho do Porto Novo, professou, este sábado, dia 07 em Itália os votos perpétua na Ordem dos Capuchinhos.

Este filho das montanhas entrou no aspirando capuchinho em São Vicente em 2011 e fez a sua primeira profissão em agosto de 2013 na Ilha Brava depois seguiu para Itália para continuar os seus estudos e formação.

Findo este percurso Frei Ravilson Renato Fortes Mota fez os seus votos de pobreza, obediência e castidade na Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, onde diz estra grato por tudo.

“O Senhor que me chamou e me escolheu para a vida religiosa, depois com os meus pais que com o tempo aceitaram a minha escolha e desde então me têm apoiado e acompanhado com oração, mas  também para com os frades de Cabo Verde que acolheram o meu pedido de entrar para fazer uma experiência”, disse em entrevista ao jornal Terra Nova.

O fato de ter crescido numa paróquia com a presença dos frades capuchinhos, levou o jovem frei escolher o caminho que é de servir o Senhor, revela o Frei Ravilson Mota que assume que a forma dos Capuchinhos em ajudar os pobres e a alegria contagiante que transmitem às pessoas, lhe cativou bastante.

Frei Ravilson Mota convida os jovens a acreditar em Cristo Jesus e a deixarem ser “transformados e contagiados da alegria do Evangelho”.

Neste momento o Frei Ravilson encontra-se a estudar na Itália, depois de ter passado por Portugal, universidade Católica Portuguesa, prossegue agora os estudos teológicos na Itália.

Opinião

Fechar