Ritmo de crescimento económico volta acelerar no primeiro trimestre 2021

Ritmo de crescimento económico volta acelerar no primeiro trimestre 2021

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

O ritmo de crescimento económico voltou a acelerar no primeiro trimestre de 2021, tendo o indicador evoluído negativamente face ao trimestre homólogo, evidenciando que o clima de negócios é “desfavorável”, segundo informou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo uma nota sobre os resultados de Inquéritos da Conjuntura aos Agentes Económicos relativos ao 1º trimestre de 2021, avançado pelo INE, o indicador de confiança em comércio em estabelecimentos contrariou a tendência descendente do último trimestre, situando-se acima da média da série.

Conforme a mesma fonte, a conjuntura neste sector é “favorável”, adiantando que no decorrer do primeiro trimestre de 2021, a insuficiência da procura e as dificuldades financeiras foram os principais constrangimentos do sector referido pelos inquiridos.

Já o sector do turismo, segundo os resultados alcançados no primeiro trimestre de 2021 pelo INE, verificou-se que o indicador de confiança inverteu a tendência descendente dos últimos trimestres, dando sinais de recuperação pese embora, evoluindo negativamente face ao trimestre homólogo, indicando, desta forma, que a conjuntura no sector é “desfavorável”.

“Os empresários apontaram a insuficiência da procura e as dificuldades financeiras, como sendo os principais obstáculos do sector neste trimestre”, apontou o INE.

Relativamente à construção, a instituição constatou que o indicador contrariou a tendência descendente dos últimos trimestres, situando-se acima da média da série e evoluindo positivamente face ao mesmo período do ano 2020.

Contudo, a mesma fonte indica que a conjuntura no sector da construção é “favorável”, mas os empresários indicaram o nível elevado da taxa de juros e a falta de materiais como sendo os principais constrangimentos do sector no primeiro trimestre 2021.

Em relação ao comércio em feira, o indicador de confiança, conforme o INE, situa-se abaixo da média da série e evoluiu negativamente relativamente ao mesmo período do ano 2020, de maneira que, perante tal resultado, nota-se que a conjuntura neste sector é “desfavorável”.

Mas no que tange à indústria transformadora, o indicador de confiança manteve a tendência descendente dos últimos trimestres, tendo observado que o referido indicador registou o valor “mais” baixo desde o início da série, pelo que a conjuntura no sector é “desfavorável”.

Destacou ainda que, segundo os empresários, o “excesso” de burocracia e regulamentações estatais e a falta de materiais foram os principais constrangimentos do sector no decorrer do primeiro trimestre de 2021.

Quanto ao sector de transporte e serviços auxiliares aos transportes, o INE comunicou que o indicador inverteu a tendência descendente do último trimestre, evoluindo positivamente face ao trimestre homólogo, por isso, a conjuntura no sector é “favorável”.

De acordo com os empresários, sublinhou, a insuficiência da procura e outros factores como a pandemia da covid-19 foram os principais constrangimentos do sector no decorrer do 1º trimestre 2021.

Opinião