Promotores de eventos “optimistas” com retoma das actividades culturais

Promotores de eventos “optimistas” com retoma das actividades culturais

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

Promotores de eventos da Ribeira Grande, Santo Antão, dizem-se “optimistas” com a retoma das atividades culturais, embora reforcem que há que ter “cautela” em relação à segurança sanitária.

À Inforpress, o promotor de eventos Armando Mariano, mais conhecido por Mandy, enalteceu a retoma das atividades culturais, tanto é que, no seu entender as pessoas estão “com vontade de sair de casa, conviver e festejar”.

“Temos que considerar que apesar de toda essa euforia, ainda estamos numa pandemia e há que ter cautela em relação à segurança sanitária” sublinhou o promotor de eventos.

A mesma fonte salientou que no concelho da Ribeira Grande ainda há “lacunas” de espaço para fazer as atividades, “principalmente” agora que o Polivalente Davide Fortes encontra-se em obras.

Entretanto, Mandy lançou um repto aos colegas produtores de eventos para serem “mais ousados” já que, mesmo limitados em relação ao espaço para as atividades, devem ser “mais criativos” e contornar este “obstáculo”.

“Sempre incentivo e fico feliz em ver outros promotores a ter outras alternativas de espaço que vão ao acordo de que podemos valorizar a nossa ilha e diversificar os espaços para as atividades, porque se tivermos as atividades no mesmo local acabamos por criar algo monótono” frisou.

Por sua vez, o promotor de eventos Jairson Lima, mais conhecido por Chaim, afirmou também estar “optimista” com o retorno das atividades culturais, embora confesse “um pouco” de receio devido à pandemia.

Como relação a espaço, Chaim enfatizou ser um dos “maiores desafios” para os produtores do concelho.

“Antes tínhamos o Polivalente David Fortes, o único espaço para promoção de eventos, e com a construção do polidesportivo, criou outras barreiras, visto que, será interditado para atividades culturais”, concretizou.

Mas, segundo Chaim, este “obstáculo” serviu para os promotores criarem e repensarem outras “alternativas na cidade”

“As autoridades locais são a base fundamental neste processo, sendo eles um dos nossos maiores parceiros. A retoma será bem-vinda se cada um fizer o seu trabalho sem bloqueios e barreiras quando o assunto é eventos”, finalizou este promotor de eventos.

Opinião