Produtores agrícolas em Santo Antão esperam há anos pela deslocalização do centro pós-colheita  

Produtores agrícolas em Santo Antão esperam há anos pela deslocalização do centro pós-colheita  

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

Os produtores agrícolas em Santo Antão esperam, desde 2017, pela deslocalização do centro pós-colheita desta ilha para as instalações do porto, no Porto Novo, como forma de servir melhor os agricultores.

Este centro, operacionalizado em 2013, foi localizado nos arredores da cidade do Porto Novo, numa zona afastada do porto, facto que, segundo os produtores agrícolas, cria “muitos constrangimentos”, sobretudo a nível do custo do serviço prestado, que fica “elevado”.

O Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) reconhece que, de facto, o centro tem “muitas vulnerabilidades”, desde logo a “má localização” e prometeu, há três anos, a transferência dessa infra-estrutura de tratamento e embalagem de produtos, para o cais do Porto Novo.

Desde dessa altura, os agricultores têm vindo, constantemente, a  exigir a transferência do centro para as instalações portuárias, processo que, segundo os serviços do MAA no Porto Novo, está em “andamento”.

A questão de localização do centro de expurgo constitui, também, uma preocupação dos presidentes das câmaras municipais de Santo Antão, que consideram que esta infra-estrutura foi “um investimento perdido”, devido à sua “má localização” e pelos  “elevados custos de funcionamento”.

 

Opinião

Fechar