Presença de Santo Antão na feira de trekking em França pode estar comprometida

Presença de Santo Antão na feira de trekking em França pode estar comprometida

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

O elevado custo que tem representado a participação de Santo Antão na feira especializada em turismo de trekking, em França, pode comprometer, este ano, a presença desta ilha nesse evento, que tem lugar em Março, nas cidades francesas de Lion e Paris.

Santo Antão tem marcado presença nas duas última edições (2018 e 2019), mas para edição 2020, esta ilha pode ficar de fora desta feira turística, devido ao “custo elevado” com as viagens e com logística, que ronda os 400 contos, segundo os operadores turísticos.

Sandra Pereira, a gerente da Atlantur, admite que Santo Antão pode não participar na edição deste ano da feira de trekking, em França, já que, além do “grande esforço financeiro”,  que é suportado pelos próprios expositores, exige ainda “muita disponibilidade” dos mesmos.

Santo Antão, que tem no trekking (caminhadas em trilhas em busca do contacto com a natureza) o seu principal produto turístico,  tem aproveitado essa feira para divulgar a ilha, que recebeu, nos últimos três anos, quase 80 mil turistas, na sua maioria franceses.

De resto, a França é o principal mercado emissor do turismo em Santo Antão, seguida da Alemanha e Bélgica.

Também, a biodiversidade marinha de Santo Antão, já muito explorada, esteve patente, nos últimos dias, em mais uma feira turística em Paris, França, através do  centro de mergulho Blue Eden, com sede nesta ilha.

Santo Antão dispõe de  “uma das maiores biodiversidades marinha de Cabo Verde”, que tem sido promovida em  feiras turísticas internacionais, designadamente em  França e Alemanha.

Opinião

Fechar