Preços dos produtos importados aumentaram 1,4% e de exportação diminuíram 0,3%

Preços dos produtos importados aumentaram 1,4% e de exportação diminuíram 0,3%

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

Em Janeiro de 2020, o índice de preço da importação situou em 105,6, registando um acréscimo de 1,4%, face ao mês anterior, enquanto da exportação fixou-se em 100,9, correspondendo a um diminuição de 0,3%. Segundo os dados dos Índice de Preços do Comércio Externo divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), no que se refere à importação o valor registado em Janeiro de 2020 foi superior em 3,1 pontos percentuais (p.p.), comparativa ao mês anterior.

Isso fez com que desse um aumento dos preços na categoria Bens de Consumo (2,9%), Produtos alimentares primários (3,0%), Bens de capital (6,4%) justificada pela subida de preços de Máquinas (9,2%) e Combustíveis (0,4%).

Por outro lado, registou-se diminuição de preço na categoria Bens Intermédios (-0,9%), justifica-se, essencialmente com a descida dos preços de Produtos transformados para a construção (-4,1%).

Segundo a mesma fonte, os índices subjacente e volátil na importação, registaram acréscimos de 0,7% e 3,3%, já em termos homólogos, o índice de preço da importação diminuiu 1,5%, relativamente a Janeiro do ano passado.

Em relação a exportação, o índice de preço situou-se em 100,9, em Janeiro, ajustando um decréscimo de 0,3%, face ao mês anterior, sendo que o índice implícito na exportação verificou um decréscimo de 0,4% e, o volátil aumentou 0,1%.

Em termos homólogos a taxa de variação homóloga do índice de preço das exportações situou-se em -4,3%.

E o INE indica ainda, que comparando com Janeiro de 2019, os índices subjacente e volátil na exportação verificaram descidas de 4,4% e 4,0%. Em termos de Índices de Termos de Troca (ITT) no mês de Janeiro de 2020 registou-se uma baixada de 1,5% relativamente ao mês anterior, enquanto em termos homólogos, o ITT se situou em 95,5 com uma taxa de variação homóloga negativa de 2,9%.

Fonte: Inforpress

Opinião

Fechar