Porto Novo: Fábrica de queijo será deslocalizada para a tranquilidade das famílias 

Porto Novo: Fábrica de queijo será deslocalizada para a tranquilidade das famílias 

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

O Governo e os donos da fábrica de queijo têm um acordo para deslocalizar essa unidade industrial para as instalações do antigo centro pecuário, em Lajedos, interior deste município.

João Santos, um dos proprietários desta fábrica, tranquiliza  os moradores que ficam nas proximidades dessa unidade, garantindo que há todo o interesse em transferir essas instalações para Lajedos, a bem da saúde das pessoas.

Segundo este empresário, “há muita vontade” em se resolver essa situação, estando os donos da fábrica apenas à espera da oficialização do acordo com o Governo, para efetivar a transferência, uma medida que surge na sequência de insistentes reclamações das famílias sobre os malefícios que o fumo expelido pela fábrica tem provocado à sua saúde.

O empresário tranquiliza, assim, as famílias, que já admitiram abandonar as suas casas, devido ao fumo, e assegura que o problema será resolvido a qualquer momento.

O acordo consiste  na permuta do edifício da fábrica de queijo pelo antigo centro pecuário de Lajedos, onde esses empresários pretendem erguer uma fábrica totalmente nova.

A fábrica de queijo do Porto Novo foi instalada, em 1998, pelo Estado, em Branquinho, uma zona residencial, situada em plena cidade do Porto Novo, no quadro de um projecto pecuário, financiado pela cooperação luxemburguesa.

Em 2016, depois de três anos encerrada, por dificuldades financeiras, essa unidade fabril, que, além do queijo, produz ainda charcutarias e carne defumado, foi vendida aos empresários João Santos e Pedro Santos, naturais da Ribeira das Patas, negócios em São Vicente.

Os proprietários vão apostar na construção de uma fábrica totalmente nova, investimento que vai exigir “largos milhares de contos”, segundo ainda João Santos.

Opinião

Fechar