Porto Novo: certificação dos produtos abre boas perspectivas em termos de mercado

Porto Novo: certificação dos produtos abre boas perspectivas em termos de mercado

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

A certificação dos produtos transformados pela Associação das Mulheres do Planalto Leste, na ilha de Santo Antão (Amupal) abre “boas perspectivas” em termos de mercado, acredita a presidente desta associação, Josefa Sousa.

Amupal conseguiu já obter o selo de origem atribuído aos produtos genuínos de Santo Antão e está em vias de obter o selo SPG (sistema participativo de garantia aos seus produtos), destinado a produtos originários dos parques naturais desta ilha.

Para Josefa Sousa, com a certificação, os produtos transformados pela Amupal vão poder conquistar novos mercados a nível do País e além-fronteiras e abre a possibilidade desta organização participar em feiras nacionais e internacionais de promoção dos produtos “made in” Santo Antão.

A Amupal espera, ainda neste mês de Agosto, obter o selo SPG, que garante origem, qualidade e segurança dos produtos confeccionados pela Amupal, mais precisamente doces e licores.

A presidente desta associação, Josefa Sousa, disse a Inforpress, acreditar que estes produtos transformados pela Amupal passam, a partir de Agosto, a ostentar o selo SPG, que surge no quadro do projecto “Agro-ecologia como instrumento para a conservação da paisagem terrestre e para a resiliência das comunidades rurais” desta ilha.

Os produtos da Amupal estão, há três meses, disponíveis no mercado com o selo de origem dos produtos genuínos de Santo Antão, atribuído pelas Redes locais para o Turismo Sustentável e Inclusivo (Raízes), e, ao que tudo indica, passam, ainda em Agosto, a dispor de um novo selo, desta feita, do SPG.

Com o SPG se pretende certificar os produtos agro-alimentares produzidos pelas organizações ou unidades localizadas nos parques naturais de Santo Antão.

Opinião