Plano de Desenvolvimento Sanitário no último ano de vigência com os principais projectos ainda por executar

Plano de Desenvolvimento Sanitário no último ano de vigência com os principais projectos ainda por executar

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

O Plano de Desenvolvimento Sanitário da ilha de Santo Antão, elaborado em 2017, está no último ano de vigência, com os principais projectos previstos por concretizar ainda, constatou a Inforpress.

O plano, previsto para o horizonte 2017/2021, prevê, entre outras acções, a construção dos centros de saúde da Ribeira das Patas (Porto Novo) e de Coculi (Ribeira Grande) e a criação do centro de recuperação para doentes com problemas de alcoolismo e toxicodependências de Santo Antão, além da criação dos postos sanitários nas zonas altas desta ilha.

Destes projectos, foram implementados os postos sanitários dos planaltos Norte e Leste, ambos no Porto Novo, bem como o de Lombo Branco, na Ribeira Grande, que funcionam com enfermeiros residentes.

Por construir estão ainda os centros de saúde das vilas da Ribeira das Patas e do Coculi, bem como o centro de recuperação para doentes com problemas de alcoolismo e toxicodependências.

Em relação ao centro de saúde da Ribeira das Patas, o ministro da Saúde anunciou, na sua mais recente visita a Santo Antão, nos princípios deste mês, que, “ainda em Setembro”, é lançado o concurso público para a adjudicação da obra, orçada em 70 mil contos, considerando que esta unidade hospitalar constitui “uma prioridade” do Governo.

Nesses anos, as estruturas de saúde em Santo Antão foram, entretanto, reforçadas com pessoal médico e com novos equipamentos, dispondo a ilha, nesta altura, de 22 médicos.

O ministro da Saúde informou que a ilha apresenta “um dos melhores indicadores de saúde” do País, com o rácio médico por habitante duas vezes superior ao rácio médico por habitante a nível nacional.

Opinião