Obras de construção da estrada rural Campanas Cima/Piorno/Chã das Caldeiras no Fogo já foram retomadas

Obras de construção da estrada rural Campanas Cima/Piorno/Chã das Caldeiras no Fogo já foram retomadas

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

Depois de cinco meses de atraso contando com o período do estado de emergência por causa da Covid 19, foram retomadas as obras de construção da estrada rural Campanas Cima/Piorno/Chã das Caldeiras na ilha do Fogo.

A conclusão da obra que teve inicio em Junho de 2018 estava prevista para Dezembro do ano passado, mas devido a vários factores não foi até este momento concluída. Tendo em conta a paragem devido o estado de emergência, não há uma data para estar pronto.

Contudo já há uma luz no fundo do túnel pelo que as obras de construção desse troço já retomaram.

O troço carroçável entre Piorno/Campanas de Cima/Chã das Caldeiras é uma estrada rural, construída numa área protegida,  com uma faixa de rodagem de 4,5 metros, sendo quatro metros de via e meio metro de berma, numa extensão de pouco mais de 11 quilómetros.

A estrada vai permitir maior desenvolvimento em Chã das Caldeiras, nomeadamente no sector de turismo e no escoamento dos produtos agrícolas.

Na altura da adjudicação da obra a ministra da Infra-estruturas, Eunice Silva avançou que a obra financiada no valor inicial de 168 mil contos, poderia vir a ser aumentado tendo em conta alguns pontos negros devido às linhas de água e a necessidade de construção de obras hidráulicas.

Segundo a Inforpress, o calcetamento está a menos de um quilómetro da Casa de Piorno, que constitui a primeira frente que partiu de Bangaeira (Chã das Caldeiras), calculando-se que até este momento um terço do troço esteja calcetado.

Ainda de acordo com a mesma fonte, a atenção maior neste momento será dada ao troço de estrada alternativo, frente que vai de Casa de Piorno até Campanas de Cima que funciona como uma segunda circular da ilha, interligando localidades dos municípios de São Filipe, Mosteiros e Santa Catarina.

Opinião

Fechar