MpD promete fazer de tudo na X legislatura para “ honrar o voto de confiança” dos cabo-verdianos

MpD promete fazer de tudo na X legislatura para “ honrar o voto de confiança” dos cabo-verdianos

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

O deputado do Movimento para a Democracia (MpD) João Gomes afirmou hoje que o seu partido irá fazer de tudo para elevar o nível dos trabalhos na casa parlamentar e “honrar o voto de confiança” dos cabo-verdianos.

João Gomes fez estas promessas, em declarações à Inforpress, à margem da sessão constitutiva da X Legislatura, realizada hoje na Cidade da Praia, aproveitado a oportunidade para agradecer aos cabo-verdianos pela renovação de confiança para mais um mandato.

Na X legislatura, avançou, o MpD, irá tudo fazer para elevar o nível dos trabalhos da Assembleia Nacional, reforçando que o mesmo quer elevar o nível do debate e priorizar a resolução dos principais problemas e necessidades dos cabo-verdianos.

Abordando a eleição de Austelino Correia como novo presidente da Assembleia Nacional, asseverou que o MpD está à vontade quanto ao exercício das funções do mesmo que, lembrou, é deputado nacional há mais de 20 anos e que já foi vice-presidente da Assembleia Nacional no mandato anterior.

“Todas as vezes que ele foi chamado a substituir o presidente, fê-lo com distinção, portanto é um conhecedor da casa, conhecedor do regimento e da Constituição, portanto é alguém que está em condições de prestar um belíssimo serviço”, sublinhou, ressaltando que os votos que Austelino Correia obteve do PAICV e da UCID é sinal de que não é só o MpD que no parlamentar.

O grupo parlamentar do MPD, informou, dá total apoio ao primeiro-ministro e ao elenco governamental que o mesmo escolheu, tendo criticado os partidos da oposição pelas declarações feitas relativamente a feitura da lista que integra os membros do Governo da X legislatura.

Para o MpD, realçou, a governação é avaliada não pelo número de membros e pelas pessoas em si, mas sim pelos resultados, reconhecendo, entretanto, que é um número “substancial” dos membros, mas que tudo vai depender dos resultados que o Governo vir a ter.

“O primeiro-ministro andou muito bem, porque manteve no Governo os membros que estavam no mandato anterior. São pessoas com experiencias, que conhecem a real situação do país, portanto não vão perder tempo a conhecer os dossiers e isso é uma vantagem. Houve novas entradas, mas são pessoas conhecidas”, referiu, reiterando a confiança do seu partido no Governo da X legislatura.

No escrutínio durante o acto constitutivo da X Legislatura, que contou com a totalidade dos 72 deputados, Austelino Correia, proposto pelo Movimento para Democracia (MpD), partido vencedor das legislativas de 18 de Abril, foi eleito com 64 votos favoráveis, quatro contra e quatro abstenções, o que equivale a 88,8% dos votos expressos.

De acordo com o mapa com o resultado total da eleição de 18 de Abril, publicado pela Comissão Nacional de Eleições (CNE), o MpD obteve 110.211 votos, o que corresponde a 50,04% do total, e elegeu 38 deputados, enquanto o PAICV conseguiu 87.151 votos, equivalentes a 39,57%, ficando com 30 deputados.

A União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) teve nestas eleições 19.796 votos, que corresponde a 8,99%, tendo conseguido quatro deputados, todos pelo círculo eleitoral de São Vicente.

Concorreram ainda o Partido do Trabalho e da Solidariedade (PTS), Partido Popular (PP) e Partido Social Democrático (PSD), mas não conseguiram votos suficientes para eleger deputados à Assembleia Nacional de Cabo Verde.

O ciclo eleitoral em Cabo Verde começou em Outubro de 2020, com as eleições autárquicas, prosseguindo em 18 de Abril com as legislativas e termina em 17 de Outubro próximo com a primeira volta para as presidenciais, às quais já não concorre o atual chefe de Estado, Jorge Carlos Fonseca, por ter atingido os dois mandatos legalmente previstos.

FONTE: Inforpress

Opinião