Morte de Giovani: “Este foi um crime praticado por gente violenta”, PJ portuguesa

Morte de Giovani: “Este foi um crime praticado por gente violenta”, PJ portuguesa

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

Os cinco suspeitos detidos esta manha pela Policia Judiciária portuguesa estão sendo indiciados da prática de crime de homicídio qualificado no caso do jovem cabo-verdiano agredido em Bragança e ainda respondem por mais três crimes de tentativa de homicídio, dos jovens também cabo-verdianos que acompanhavam Giovani.

A Policia Judiciária afirmou que “foi um crime praticado por gente violenta”, disse a PJ, acrescentando que os cinco são todos de Bragança, sem antecedentes criminais e alguns deles desempregados.

Os suspeitos encontram-se detidos no estabelecimento prisional de Vila Real e vão ser ouvidos ainda esta sexta-feira à tarde no Tribunal de Bragança, onde vão conhecer as medidas de coação. A Polícia Judiciária avançou que o crime “foi praticado por gente violenta” e que “tiveram intenção de matar Giovani”. As autoridades não afastam a possibilidade de existirem mais envolvidos.

Segundo o site de notícia Expresso, os elementos probatórios foram obtidos através de testemunhos e declarações dos próprios arguidos.

Em conferência de imprensa em Vila Real, a PJ afastou ainda a possibilidade de se tratar de um crime de ódio racial. “Na base deste crime estão questões fúteis e de desavença num espaço público e desenvolveu-se no exterior”, disse aos jornalistas Luís Neves, diretor nacional da PJ, referiu sublinhando que desavenças “deste tipo” acontecem “várias vezes” mas que têm desfechos diferentes. “Não se trata de um crime entre raças ou nacionalidades”, garantiu ainda.

Com Expresso

Opinião

Fechar