Morte de estudante cabo-verdiano: caso “lamentável” mas não belisca as relações entre Cabo Verde e Portugal-PM

Morte de estudante cabo-verdiano: caso “lamentável” mas não belisca as relações entre Cabo Verde e Portugal-PM

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

O Primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva acredita na justiça portuguesa quanto a morte do jovem estudante Giovani Rodrigues e assegura que a situação é lamentável, mas que não belisca as relações entre os dois países.

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva espera que a justiça seja feita, e acrescentou que confia na justiça portuguesa. “A investigação está em curso e temos que aguardar agora os resultados. O ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal teve um posicionamento muito claro em relação a esta matéria”.

Ulisses Correia e Silva assegurou que as relações entre Cabo Verde e Portugal “são fortes, estruturantes e em desenvolvimento em qualquer circunstância de poder. Portanto é algo que não fica beliscado por situações que são lamentáveis, mas que acontecem”, pontuou.

O estudante cabo-verdiano do Instituto Politécnico de Bragança (IPB) Giovani Rodrigues, de 21 anos e natural dos Mosteiros na ilha do Fogo, terá sido agredido por vários homens à saída de uma discoteca em Bragança, Portugal.

Após ter sido encontrado inanimado no chão, o jovem foi transportado para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos tendo acabo por falecer no dia 31 de Dezembro de 2019 em Portugal.

Giovani deslocou a Portugal para prosseguir estudos, mas acabou por ter um fim trágico deixando a sociedade cabo-verdiana consternada. Entretanto a Polícia Judiciária (PJ) de Portugal afasta a suspeita de que a morte do estudante do Instituto Politécnico de Bragança Giovani Rodrigues esteja associada a ódio racial, afirmando que o motivo da agressão foi uma futilidade.

Opinião

Fechar