MCIC pré-selecionou 78 Escolas, associações e Ong’s para Programa Bolsa de Acesso à Cultura

MCIC pré-selecionou 78 Escolas, associações e Ong’s para Programa Bolsa de Acesso à Cultura

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

Foram pré-selecionados, na tarde desta terça-feira, 78 escolas, associações e ONG’s de ensino artístico em todo o território nacional para o acesso ao financiamento do Programa Bolsa de Acesso à Cultura (BA Cultura).

De acordo com uma nota do Governo enviada a redação do Santo Antão News, foram entregues este ano ao Ministério 92 candidaturas, um acréscimo de 15%. Entretanto os pré-selecionados têm um prazo de 15 dias, “após a comunicação feita da pré-seleção”, para entregarem toda a documentação em falta para a completar o processo de candidatura.

Na lista constam duas escolas de São Nicolau (Ribeira Brava), duas de Porto Novo, em Santo Antão; São Vicente passou de três para cinco, Sal subiu de dois para três, Maio com três, Santiago deu uma subida de 42 para 47, Fogo também de 12 para 15 e Brava com uma.

As escolas, associações e ONG’s têm um prazo de 15 dias, a partir do momento da comunicação feita da pré-seleção, para entregarem toda a documentação em falta para a completar o processo de candidatura.

O Programa Bolsa de Acesso à Cultura foi pensado e implementado com o objetivo de dar acesso e massificar o ensino das artes em Cabo Verde. Bem como garantir que a população com menos recursos não fique excluída da “fruição da arte”.

Artes plásticas/reciclagem, artesanato, artes cénicas, dança tradicional, culinária, dança, teatro, música, desenho e pintura criativa, tabanca, artes em cabedal, costura, cestaria, panificação, rendas e bordados são algumas das áreas desse projetos.

Uma iniciativa do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas (MCIC), através da coordenação do Programa Bolsa de Acesso à Cultura, com propósito de dar sustentabilidade às pequenas iniciativas das escolas de ensino artístico, financiando as propinas dos alunos que são de famílias com baixo poder económico.

Opinião

Fechar