Maio: Direcção Nacional do Ambiente esclarece sobre teste de dragagem de areia pelo Navio Thames

Maio: Direcção Nacional do Ambiente esclarece sobre teste de dragagem de areia pelo Navio Thames

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

A Direcção Nacional do Ambiente (DNA) explicou hoje que o navio Thames foi autorizado a fazer teste dos equipamentos de dragagem de areia na ilha do Maio, salvaguardando todos os requisitos da protecção ambiental.

Num comunicado, a DNA recorda que nos últimos tempos tem havido uma dinâmica da construção em Cabo Verde, o que tem contribuído para a escassez de inertes como areia, situação que obrigou a procura de soluções para colmatar este problema, que passa pela dragagem.

Aproveita ainda para esclarecer que os portos do País também têm deparado com problemas de assoreamento, algo que só vai ser possível ultrapassar com a dragagem de arreia, recorrendo a navios do tipo, de forma a permitir um normal tráfego, nas infra-estruturas portuárias.

Esta medida visa, por um lado, controlar a exploração “espontânea e descontrolada”, evitando assim os desequilíbrios ambientais, razão pela qual o Governo autorizou o Ministério da Economia Marítima a licenciar a dragagem de areia nos portos e nos bancos de areia.

Os testes vêm acontecendo desde finais de Abril, a cerca de duas milhas da costa, utilizando um sistema de drenagem com tecnologias de prevenção de sucção de fauna marítima, informa a DNA, ressalvando que “este sistema tem penetração até um metro, fazendo ali a sucção” e que “durante o período do teste toda areia foi de novo devolvida ao mar”.

Segundo a DNA as dragagens, serão feitas nos portos e nos bancos de areia previamente definidas em zonas de corrente que circulam da costa para o oceano, ou seja, em sentido oposto à costa, salvaguardando todas as medidas de minimização de impacto ambiental.

 

Opinião