Hospital Agostinho Neto recebe equipamentos de diagnóstico do cancro da próstata

Hospital Agostinho Neto recebe equipamentos de diagnóstico do cancro da próstata

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

O Hospital Agostinho Neto recebeu hoje da Fundação Calouste Gulbenkian um conjunto de equipamentos médicos avaliados em 24 mil euros, (cerca de dois mil contos) que vão permitir melhorar a abordagem do diagnóstico do cancro da próstata.

Carla Barbosa, que falava em nome da FCG, desse que esses equipamentos serão alocados ao serviço de urologia e vão permitir a melhoria da abordagem do diagnóstico do cancro da próstata, entre outras patologias do foro urológico. Acrescentando que com esses equipamentos o País está a dar “mais um passo para modificar a triste realidade do diagnóstico tardio” do cancro da próstata em Cabo Verde, “diminuindo assim a taxa de mortalidade” da doença.

“Entre os materiais constam ecógrafos sondas e guias de agulhas para biopsia, citou a coordenadora mostrando-se confiante que estes matérias vão ajudar a melhorar as condições de trabalho da equipa de urologia, que se encontra “completamente engajada” neste projecto comum, que tem como foco melhoria dos cuidados de saúde na área de doenças oncológicas em Cabo Verde.

Com esse projecto foi possível aumentar em 50% as cirurgias oncológicas, aumento de 30% nas sessões de quimioterapia e diminuição de cerca de 10% nas transferências de doentes para o exterior, revela.

Entretanto, o presidente do conselho da administração do Hospital Agostinho Neto, Imadoêno Cabral, agradeceu a doação e considerou que a colaboração com a Fundação Calouste Gulbenkian tem contribuído para “melhorar os indicadores qualitativos e quantitativos” a nível de prevenção, tratamento e diagnóstico.

Lembrando ainda que as doenças oncológicas em Cabo Verde constituem um grande flagelo, não só em número, mas também a nível dos problemas sociais.

O director do serviço de urologia, Mário Frederico, disse que esses materiais vão ajudar no reforço da capacidade técnica e contribuirão para melhorar ainda mais no diagnóstico e tratamento das patologias urológicas, sobretudo o cancro da próstata.

O evento contou com a presença do presidente do conselho da administração do hospital, do director do serviço de urologia e da coordenadora do Programa de Prevenção e Controlo das Doenças Oncológicas, Carla Barbosa, em representação da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG).

A doação enquadra-se no âmbito do projecto de Melhoria do Diagnóstico e Tratamento das Doenças Oncológicas em Cabo Verde, assinado em 2018 pelo Ministério da Saúde e da Segurança Social e a Fundação Calouste Gulbenkian, avaliado em 174 mil contos.

 

Opinião