Extracção de areia na orla costeira em santo Antão preocupa ONG

Extracção de areia na orla costeira em santo Antão preocupa ONG

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

A organização não-governamental (ONG) Fundamental, Santo Antão, usou a sua rede social para dizer que está preocupada com a extração de areia na orla costeira da ilha, referindo-se principalmente o caso da praia de Mão- Para -Trás, na Ribeira Grande.

Segundo a organização ao longo dos anos esta praia continua sendo o sustento de muitas famílias, através da extração de areia, que vem aumentado nesta época mais quente onde há muita areia, recordando que ali já foi banhada de areia negra ao longo da orla marítima.

Lembrou ainda que os ambientalistas já tinham denunciado também em Santo Antão, outro caso de extração desenfreada de areia na zona costeira, na praia de Gi, no município do Paul. Disse ainda que se trata de uma prática ilegal,  condenada pelo próprio Ministério do Mar que, entretanto, alerta para os vários impactos negativos que esta atividade traz.

Por sua vez, o Governo garante, encontrar soluções para essas famílias que estão a viver da extração de areia na praia de Gi, sendo que é único meio de que dispõem para manter o seu sustento.

Os jovens envolvidos na extração de areia nesta praia, que está a ser alvo de requalificação, devem beneficiar de um projeto, que consiste na construção de quiosques para venda de produtos diversos, esplanadas e restaurantes, podendo ainda ser contemplados com o financiamento de uma britadeira.

Também, no concelho do Porto Novo há sinais preocupantes relacionados com a extração de areia na costa costeira, mas, também, com outras inertes, que preocupam os ambientalistas, que terão já recorrido aos tribunais para pôr cobro à situação.

 

Opinião