Covid 19/ Santo Antão:Peixeiras do Porto Novo contempladas com acção de sensibilização, equipamentos de conservação, materiais de protecção individual e higienização

Covid 19/ Santo Antão:Peixeiras do Porto Novo contempladas com acção de sensibilização, equipamentos de conservação, materiais de protecção individual e higienização

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

As peixeiras ambulantes do Porto Novo, Santo Antão participaram uma acção de sensibilização e receberam equipamentos de conservação e materiais de protecção individual e higienização. A acção foi promovida através do projecto de reforço e apoio às medidas de mitigação da pandemia de covid-19 no sector da pesca artesanal.

O projecto de reforço e apoio às medidas de mitigação da pandemia de covid-19 no sector da pesca artesanal foi financiado pela União Europeia, através da Associação dos Amigos das Natureza e do Centro de Estudos Rurais e Agricultura Internacional (CERAI).

Através deste projecto um grupo de peixeiras ambulantes foi já contemplado com uma acção de sensibilização e com equipamentos de conservação e materiais de protecção individual e higienização.

À Inforpress, o presidente da Associação dos Pescadores no Porto Novo, Atlermiro Neves, explicou que o projecto consiste na aquisição de um conjunto de equipamentos e materiais de higiene e segurança individual para as peixeiras, que inclui caixas de transporte do pescado, aventais PVC, botas de água PVC, máscaras, tocas, facas de corte em inox, luvas, tocas e álcool.

Ainda de acordo com a mesma fonte, este projecto permite com que as peixeiras tenham melhores equipamentos e materiais para as suas actividades, bem como melhorar a segurança na defesa e propagação da covid 19,” uma vez que a venda ambulante comporta riscos acrescidos”.

Deverá ser ainda ministrada mais uma formação sobre o manuseamento do pescado para esse mesmo grupo de mulheres peixeiras.

O projecto de reforço e apoio às medidas de prevenção da covid-19 no sector da pesca artesanal no Porto Novo foi financiado em 333 mil escudos, no âmbito da “chamada para iniciativas comunitárias de resposta à emergência” nas ilhas de Santo Antão, São Vicente e São Nicolau.

Opinião

Fechar