Covid-19: Padre Ottávio Fasano endereça mensagem aos cabo-verdianos pedindo responsabilidade no combate à pandemia

Covid-19: Padre Ottávio Fasano endereça mensagem aos cabo-verdianos pedindo responsabilidade no combate à pandemia

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

O padre Ottávio Fasano, que há mais de meio século tem trabalhado em Cabo Verde, endereçou, quarta-feira, uma mensagem a todos os cabo-verdianos, exortando à responsabilidade no combate ao novo coronavírus (covid-19).

“Estou com vocês e sinto a necessidade e o dever de falar convosco sobre a situação que estamos a enfrentar estes dias, nós em Itália e vocês em Cabo Verde ou nos países onde estão emigrados”, lê-se na carta remetida no dia 01 de Abril a partir de Bra, Piemonte Itália, onde o padre Ottavio Fasano se encontra, neste momento e dirigida aos cabo-verdianos.

O padre apela a todos para enfrentar o novo coronavírus, que classificou de “inimigo invisível, terrível e também mortal”, sublinhando que todos estão “juntos no mesmo barco da vida e a ser abalados por fortes ondas traiçoeiras” quer na Itália, na Europa, na América e em todo o mundo.

“Estamos numa luta muito dura”, destacou na sua carta aos cabo-verdianos, acrescentando que tomou conhecimento das decisões do Governo de Cabo Verde para enfrentar esta pandemia, apelando a todos pra que sejam responsáveis.

“Sejam responsáveis por vocês mesmos, pela vossa família, por toda a sociedade cabo-verdiana. Sejam fortes e corajosos a defenderem o vosso futuro humano, espiritual e económico, ‘obedecendo’ as medidas das autoridades governativas”, asseverou Ottavio Fasano na sua missiva, tendo deixado claro que “somente esta obediência concreta” será a grande defesa e salvação de todos.

Na carta, a mesma fonte confessou que traz no seu pensamento e nas suas orações diárias os cabo-verdianos que acompanha com “grande preocupação”, solicitando aos seus amigos que orem por ele, que lutem, rezem, com força e sejam esperançosos.
“Em Itália, todos os dias, centenas e centenas de mortos”, salientou.

Padre Ottavio Fasano, que foi homenageado no ano passado pela Câmara Municipal de São Filipe e pelo Governo em sinal de reconhecimento por aquilo que tem feito para a ilha e para o país, chegou à ilha do Fogo no ano de 1965 (Janeiro) e enquanto missionário trabalhou nas ilhas do Fogo, Brava, S. Nicolau, Sal e Santo Antão.

A nível da ilha do Fogo a intervenção deste missionário é reconhecido por todos e de entre as várias obras destacam-se a construção do centro sócio-sanitário São Francisco de Assis que depois foi doado ao Governo de Cabo Verde que o transformou no hospital regional, bem como o projecto de viticultura “vinha Maria Chaves” e a adega de Monte Barro (produção de vinhos e engarrafamento de água).

Construção da unidade turística “Casas do Sol”, do auditório padre Pio Gottin, a construção, em curso, do primeiro Centro de Cuidados Paliativos de Cabo Verde para acolhimento e tratamento de doentes na fase terminal, de entre outras são outras das obras de Ottavio Fasano no Fogo.

Foi fundador da Associação de Solidariedade e Desenvolvimento (ASDE), transformado agora na Fundação Padre Ottavio Fasano e na ASDE Nova, que financiou o projecto de desenvolvimento da pesca na região Fogo/Brava.

Inforpress

Opinião

Fechar