Covid 19: Carros de som estão a circular para identificar pessoas provenientes da Boa Vista e do exterior com vista ao seguimento pela DNS

Covid 19: Carros de som estão a circular para identificar pessoas provenientes da Boa Vista e do exterior com vista ao seguimento pela DNS

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

O Director Nacional da Saúde, Artur Correia, anunciou que carros de som estão nas ruas a circular no sentido de identificar  pessoas provenientes da Boa Vista e do exterior para efeito de seguimento. Estas pessoas deverão obrigatoriamente cumprir a quarentena. A medida visa identificar precocemente eventuais casos e evitar a propagação do novo coronavírus. 

Cabo Verde conta até o momento com três casos importados do coronavírus e um caso suspeito também referente a um cidadão holandês, todos registados na ilha da Boa Vista que foi colocada de quarentena.

Na sequência do surgimento destes casos a Direcção Nacional da Saúde tomou algumas medidas para evitar que o vírus se espalhasse pelo país, tendo a DNS determinado que todas as pessoas provenientes da Boa Vista ou que regressassem do exterior sejam nacionais ou estrangeiros fossem  submetias ao regime de quarentena obrigatória num dos hotéis das ilhas de acolhimento.

Para isso a Direcção Nacional da Saúde colocou em prática em todos os conselhos do país o seu plano de informação, educação e comunicação comunitária nomeadamente carros de som a circular nas ruas com vista a identificar pessoas para efeitos de seguimento. Para o efeito está disponível a linha verde 800 11 12.

De realçar que muitas desta pessoas saíram da Boa Vista antes da medida de quarentena e outros depois. O Diretor Nacional da Saúde Artur Correia chama a atenção da população a não ficarem alarmados e nem tratar as pessoas como criminosos ou fugitivos porque “o foco fundamental é que se cumprem as medidas anunciadas pelo Governo e que se cumpram as medidas de seguimento de detecção precoce dos casos”, alertou.

O responsável destaca a colaboração das companhias marítimas  no que toca a identificação das pessoas que regressaram de barco e também da própria população nas denúncias.

Opinião

Fechar