Banco Mundial revê em baixa as perspectivas de crescimento para Cabo Verde em 2021

Banco Mundial revê em baixa as perspectivas de crescimento para Cabo Verde em 2021

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

De acordo com o relatório sobre as perspetivas económicas Globais do Banco Mundial, publicado esta terça-feira, a economia cabo-verdiana deverá crescer 3,9 % em 2021, inferior em 1,6 pontos percentuais face à previsão de Janeiro.

O documento, publicado no site da organização, destaca uma diminuição face às previsões de Janeiro, que apontavam para um crescimento na ordem dos 5,5%, acima das estimativas do Governo que apontam para um crescimento económico de 4,5%, só se o país conseguir controlar a pandemia e se verificar um desconfinamento em todo o mundo.

A previsão revista para Cabo Verde está acima da média regional (África Subsariana) estimada em 2,8%. A nível global o relatório indica para um crescimento de 5,6% em 2021.

“A recuperação é desigual e reflete, em grande parte, a rápida capacidade de recuperação de algumas das principais economias. Em diversas economias emergentes e em desenvolvimento (EEEDs), os obstáculos à vacinação continuam a pesar sobre a atividade”.

O Banco Mundial prevê que até 2022 que as perdas de renda per capita não terão sido totalmente recuperadas em cerca de dois terços das EEEDs. A perspetiva global continua sujeita a riscos negativos significativos, incluindo a possibilidade de novas ondas de covid-19 e a tensão financeira face aos altos níveis de endividamento das EEEDs.

“Os decisores políticos precisam encontrar o equilíbrio entre estimular a recuperação e salvaguardar a estabilidade dos preços e a sustentabilidade fiscal e continuar o seu trabalho na promoção de reformas que visem o crescimento”, aconselha o relatório.

Em relação à inflação, o relatório avisa sobre riscos associados ao aumento das pressões inflacionárias que devem ditar uma alta de um ponto percentual na inflação global em 2021.

“A queda da inflação, observada no ano passado, é considerada a mais silenciosa e breve de qualquer uma das cinco recessões globais nos últimos 50 anos. Desde Maio de 2020, a inflação disparou mais rápido do que em recuperações anteriores”, lê-se no documento.

As expectativas quanto à alta dos preços “devem permanecer bem ancoradas, apontando para uma inflação baixa e estável no longo prazo.”

 

Opinião