Austelino Correia eleito presidente da Assembleia Nacional – Orlando Dias rejeitado pelo parlamento

Austelino Correia eleito presidente da Assembleia Nacional – Orlando Dias rejeitado pelo parlamento

Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on email
Email

O deputado nacional Austelino Correia, eleito pelo círculo eleitoral de Santiago Norte na lista do MpD, foi hoje conduzido ao cargo de presidente da Assembleia Nacional, ao passo que Orlando Dias, também MpD, foi chumbado como vice.

No escrutínio durante o ato constitutivo da X Legislatura, que contou com a totalidade dos 72 deputados, Austelino Correia, proposto pelo Movimento para Democracia (MpD), partido vencedor das legislativas de 18 de Abril,  foi eleito com 64 votos favoráveis, quatro contra e contra abstenções, o que equivale a 88,8% dos votos expressos.

A eleição de Austelino Correia como sucessor de Jorge Santos foi proclamado pelo ainda presidente da Casa Parlamentar, quando eram precisamente 11:45, sendo que logo de seguida procedeu-se a eleição dos restantes elementos da mesa, que ditou a reprovação do nome do deputado Orlando Dias, candidato proposto pelo MpD, como primeiro vice-presidente.

Orlando Dias contou com 36 votos favoráveis, 35 não e uma abstenção, pelo que não teve votos suficientes para ser eleito, porquanto nos termos regulamentares exige-se maioria absoluta para um candidato ser eleito.

Perante este quadro, a líder parlamentar do MpD, Joana Rosa, pediu 30 minutos de suspensão dos trabalhos, prontamente aceite por Jorge Santos, e avançou com o nome de Armindo da Luz para concorrer à vaga pelo qual Orlando Dias foi rejeitado pelo parlamento.

O novo presidente da Assembleia Nacional, Austelino Correia, prometeu uma presidência “aberta, de auscultação e aproveitamento de experiências” para fazer com que o parlamento possa  “recuperar” aquela imagem que de facto se pretende que os cabo-verdianos tenham da Assembleia Nacional.

Todos os restantes integrantes da lista, designadamente, Eva Ortet (PAICV) para segunda vice-presidente da mesa, Georgina Gemiê (MpD) para primeira secretária, Julião Varela (PAICV), para segundo secretário da mesa e Anilda Tavares (MpD) para terceiro secretário foram eleitos com maioria absoluta.

De acordo com o mapa com o resultado total da eleição de 18 de Abril publicado pela Comissão Nacional de Eleições (CNE), o MpD obteve 110.211 votos, o que corresponde a 50,04% do total, e elegeu 38 deputados, enquanto o PAICV conseguiu 87.151 votos, equivalentes a 39,57%, ficando com 30 deputados.

A União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) teve nestas eleições 19.796 votos, que corresponde a 8,99%, tendo conseguido quatro deputados, todos pelo círculo eleitoral de São Vicente.

Concorreram ainda o Partido do Trabalho e da Solidariedade (PTS), Partido Popular (PP) e Partido Social Democrático (PSD), mas não conseguiram votos suficientes para eleger deputados à Assembleia Nacional de Cabo Verde.

O ciclo eleitoral em Cabo Verde começou em Outubro de 2020 com as eleições autárquicas, prosseguindo em 18 de Abril com as legislativas e termina em 17 de Outubro próximo com a primeira volta para as presidenciais, às quais já não concorre o atual chefe de Estado, Jorge Carlos Fonseca, por ter atingido os dois mandatos legalmente previstos.

 

FONTE: Inforpress

Opinião